• Francisco Toledo

Quem são os bolsonaristas que causaram confusão e foram protegidos no domingo

Pelo menos três manifestantes bolsonaristas foram responsáveis pelo avanço policial contra o protesto pró-democracia neste domingo, na Av. Paulista. Pelo menos dois deles conseguiram entrar no espaço delimitado pela Polícia Militar aos manifestantes de torcidas organizadas com o apoio de policiais militares, causando brigas e, posteriormente, as primeiras bombas de efeito moral no quarteirão do Masp.


O estopim das bombas foi o Coronel Américo Massaki Higuti. Militante bolsonarista nas redes sociais e figura frequente nos protestos contra o governador João Doria (PSDB), ele é graduado em Curso de Formação de Oficiais pela Academia de Polícia Militar do Barro Branco (1988). Atualmente trabalha no Centro de Altos Estudos em Segurança, tendo atuado por décadas internamente na segurança pública do estado de São Paulo.


Foto: Reprodução / Arquivo Pessoal

Nas redes sociais, o coronel Américo exibe orgulhosamente fotos com o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).


Segundo apurou em tempo real durante a manifestação, o coronel Américo entrou propositalmente no ato pró-democracia com o apoio de pelo menos um policial militar e mais duas pessoas não identificadas. Fardado, o bolsonarista chamou a atenção dos manifestantes e não demorou para uma briga generalizada começar. Em um curto espaço de tempo, o coronel foi retirado por outros policiais militares do espaço, com manifestantes avançando sobre o cordão policial. Depois disso, as primeiras bombas de efeito moral foram disparadas pela PM. A partir dai começou o trabalho de dispersão da Tropa de Choque, causando o confronto que marcou o domingo.


Um vídeo publicado nas redes sociais flagra o momento em que o coronel Américo entra na manifestação com o apoio policial.


Em maio deste ano, após polêmica nota divulgada pelo ministro General Heleno, o coronel Américo celebrou a fala anti-democrática da ala militar bolsonarista no Twitter, com a hashtag #HelenoJáTáNaHora.


Outra bolsonarista que participou do protesto no domingo, portando um taco de baseball, foi Maria Cristina Rocha. Ela também entrou na manifestação pró-democracia, sendo retirada por um policial militar. Nas redes sociais, usuários questionaram a gentiliza do policial ao retirar Cristina do protesto, mesmo portando uma arma branca e ameaçando manifestantes e jornalistas que cobriam o ato.


Segundo a Revista Fórum, Cristina foi à porta do Hospital Sírio Libanês em fevereiro de 2017, para celebrar o falecimento da ex-primeira-dama Marisa Letícia. Figura carimbada da extrema-direita de São Paulo, ela aparece no vídeo abaixo ostentando o taco de baseball em outra ocasião.


Por último, o instrutor de segurança Alex Silva, 46, causou confusão ao empunhar uma bandeira do Setor Direito, partido de extrema-direita ucraniano. Apesar de não ter invadido o espaço do ato pró-democracia, ele também causou atritos em diversos momentos, sendo questionando por antifascistas sobre o uso de um símbolo considerado neonazista. Segundo apurou o jornal Folha de S. Paulo, Alex mora na Ucrânia desde 2014, ano em que protestos sacudiram o país europeu, com participação direta e armada do Setor Direito.


Apesar de afirmar que o Setor Direito é um grupo que não possui raízes neonazistas, o partido ucraniano conta com diversas polêmicas desde o ano de sua criação, em 2013, como milícia paramilitar inicialmente.


Uma reportagem feita pela britânica BBC mostra como o discurso do partido ucraniano ganhou forças, cargos políticos e influência no país europeu, apesar do discurso abertamente fascista.


O que diz a Polícia Militar


O Democratize entrou em contato com a Polícia Militar para verificar sobre a assistência dada por um policial militar ao coronel Américo, que entrou no ato pró-democracia com sua ajuda. Até o momento não obtivemos retorno.


Sobre a manifestante bolsonarista portar um taco de baseball, a instituição disse no domingo que não se trata de uma arma branca pois "ela não foi utilizada para agressões", apesar das diversas ameaças feitas pela Maria Cristina.

28,534 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 Todos os direitos Reservados