• Gustavo Oliveira

Os indígenas contra a Covid-19

“652 indígenas morreram por Covid-19 em território brasileiro”

Foto: Gustavo Oliveira / Democratize


Desde que o novo coronavírus chegou ao Brasil, 120.828 pessoas foram mortas pelo vírus, além de 3.862.311 pessoas contaminadas e 3.031.559 recuperadas da doença. Nas aldeias indígenas do Brasil a fora, o levantamento da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil) é de que 652 indígenas morreram por Covid-19 em território brasileiro.


Segundo um estudo feito pela Fiocruz ( https://bit.ly/3gJHRSC ), povos indígenas são altamente vulneráveis a infecções respiratórias agudas. Evidências recentes confirmam, de acordo com o estudo, que a introdução de vírus em comunidades indígenas em altas taxas de internações, com potencial elevado para risco de morte. Mesmo fora de períodos epidemiológicos, as infecções respiratórias agudas se situam entre as principais causas de morbidade e mortalidade em populações indígenas.


A pandemia de coronavírus representa um enorme risco para a população originaria do Brasil e exige medidas urgentes do poder público, para além do uso da cloroquina, que foram enviadas aos milhares por militares brasileiros por ordens do MMFDH (Ministério da Mulher, Família e dos Direitos Humanos), que tem como Ministra a pastora evangélica Damares Alves.


Liderança contaminada


Foto: Fábio Martins


No início da tarde de hoje (31), a assessoria de imprensa do Cacique Raoni Metuktire, 89 anos, informou que a liderança indígena conhecido internacionalmente contraiu o coronavírus e está internado em um hospital na cidade de Sinop, cerca de quinhentos quilômetros da capital Cuiabá no estado do Mato Grosso.


Segundo a equipe médica do Hospital dos Pinheiros, que acompanha o Cacique Raoni, ele teve o Covid-19 e que os exames mostraram a presença de anticorpos.


Em nota o Instituto Raoni informou que:


“O motivo foi a constatação de alterações na taxa de leucócitos no sangue e sintomas de pneumonia. Exames específicos realizados, tomografia computadorizada e sorologia confirmaram a COVID-19. Seu estado é bom, sem febre e respirando normalmente e sem ajuda de oxigênio”.

No mês de julho desde ano, o Cacique Raoni foi internado no Hospital de Colíder após se sentir mal e foi transferido para Sinop avião após complicações gastrointestinais e desidratação.


Segundo a assessoria de imprensa do Instituto Raoni, o Cacique apresentou sintomas de depressão após sua esposa, Bekwyjkà Metuktire falecer no dia 23 de junho deste ano.


21 visualizações

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco
  • Ícone do Twitter Branco

© 2020 Todos os direitos Reservados